St. Barths


Considerado um destino de luxo para a classe dos abonados da França, Saint-Barthélemy, ou Saint-Barth seja, talvez, a ilha mais badalado do Caribe! Não é a toa que se tornou a queridinha dos jet setters. O ponto alto do destino é a atmosfera descontraída e com muita paz, sem perder a elegância e o refinamento. Tudo tem um ar de privé, desde os bons restaurantes com sua gente bonita até alguns locais mais agitados.

Para se chegar à este local da Collectivité d'Outre-Mer ou coletividade ultramarina da França é necessário voar até a vizinha, St Maarten. A Copa Airlines tem voos regulares via Cidade do Panamá. O trajeto é um pouco demorado,  partindo de São Paulo são quase seis horas até o Panamá, uma conexão e mais quase três horas até o Aeroporto Internacional Princesa Juliana, no lado holandês desta ilha. Os voos são operados por aviões Boeing 737-800 e oferecem classe econômica, com pouco espaço, e a classe executiva, com mais conforto. Para ir de St Maarten à St Barths, existe a opção de avião, neste caso é preciso verificar uma conexão imediata, uma vez que há voos de meia em meia hora, com a Winair (www.fly-winair.com). Os aviões são turbo-hélice e a franquia de bagagem é de 23kg, variando de acordo com a tarifa paga. Outra maneira de chegar a St Barths é de barco, há ferries regulares fazendo o trajeto St. Martin (lado francês)-St. Barths-St. Martin. O local de partida vai depender da estação e do dia escolhido, pois ora partem da Marina de Marigot ou ora partem da Marina de Oyster Pond. O barco é bastante confortável e leva aproximadamente 30 minutos para chegar ao porto de Gustavia, St.Barths (maiores informações estão no site www.voy12.com/en). Notem que quando aportado em St. Barths, todos os passageiros desembarcados devem apresentar os passaportes que serão carimbados pelo serviço de imigração.

Gustavia foi batizada com este nome em homenagem ao rei Gustavo III da Suécia, país que dominou a ilha como colônia por 100 anos, antes de passar o domínio aos franceses. É o centro da cidade onde está localizado o charmoso porto, repleto de lindos barcos e iates de luxo! Ali também se concentram o comércio com lojas de grife como Dior, Louis Vuitton e Bulgari (as lojas não abrem aos domingos), bem como os cafés, os restaurantes, o museu municipal. Bem próximo dali está a praia de St Jean, outro badalado local da ilha e também repleto de restaurantes, bom comércio, além do famoso beach club "Nikki Beach".

Eu, particularmente, não me hospedei em nenhum hotel, pois dormi todos os dias em St Martin, porém tenho amigos que já passaram temporadas na ilha e me indicaram os melhores hotéis, apesar da grande maioria dos turistas, sobretudo os franceses, preferem alugar casas de luxo, incluindo o serviço diário de limpeza.

A indicação de um casal paulistano acostumado a fazer viagens de luxo foi para o Eden Rock Hotel, localizado na Baie de St-Jean. O hotel é tão tradicional que se tornou um cartão postal da ilha. www.edenrockhotel.com/eng/home

A indicação de um amigo jetsetter foi para o Hotel St Barth Isle de France, localizado na Baie de Flamands. O hotel fica mais longe da muvuca, porém é ideal para curtir a paz e beleza natural da região. http://stbarthisledefrance.chevalblanc.com/en

Outros com cotação altíssima pelas revistas especializadas são: o Christopher St Barth, em Pointe Milou, cujo spa tem produtos Sisley e o Hotel Guanahani & Spa, em Grand Cul de Sac.

O ilha é bem pequena, são 21 km quadrados, é pouco populosa, tem fácil acessibilidade interna devido as vias que cortam o relevo rochoso. Há locadora de carros ou táxi para se deslocar.

por ROBERTO CHRISTO


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Concierge Service: Doha, Dicas para um Stopover!

Kangaroo Tours na Travel Week! Muito mais do que luxo.

Talamanca, a Bola da Vez de Ibiza