Siem Reap, Camboja.


Conhecer as ruínas dos Khmers é algo que todo cidadão deve fazer. O complexo de templos fica no atual Camboja, país do sudeste asiático que passou pela ditadura socialista do Khmer Vermelho, mas hoje é uma das economias com a maior taxa de crescimento do mundo. Apesar de ainda ser um país pobre, muito se construiu, nestes últimos 15 anos, nos seus dois centros de turismo: sua capital "Phnom Penh" (pronuncia-se Pinhon Pen) e Siem Reap, a cidade base para se visitar os templos do antigo Império Khmer e tema do nosso post.

O Império Khmer floresceu aproximadamente entre os anos 802 e 1430. Seu fundador foi Jayavarman II, o monarca que declarou a independência do governo de Java, a quem eram subordinados. Já o seu declínio se deu pela invasão do povo siamês (hoje tailandeses) do Reino de Ayutthaya.

A história pode ser contada através de uma visita ao complexo de templos, cujo principal, "Angkor Wat",  acaba por nomear o local. As construções são de tirar o fôlego, uma verdadeira obra-prima da arquitetura angkoriana! Arquitetura esta que é muito semelhante a dravidiana, da Índia, país responsável por exercer muita influência na região por causa de migrações e constante alternância do domínio dentre os impérios abrigados naquela região, em tempos remotos.

É recomendado deixar dois dias livres para visitar o complexo, uma vez que o clima é de extremo calor e umidade. Tais condições geram um cansaço extremo aos turistas que precisam se deslocar a pé neste importante e vasto centro histórico.

Gostaria de citar aqui os principais pontos que chamamos de must see! No dia da chegada vá ver o pôr do sol a partir do Templo Bakheng, o passeio faz parte da lista de tours oferecidos pelos guias. Vale a pena!

No segundo dia deixe para ver e fotografar o cartão postal do Camboja: as famosas e gigantescas faces do rei Jayavarman VII feitas em pedra. O Ta Prohm também é imperdível, pois está sob as árvores da floresta tropical que cresceram ali. O ponto alto deste dia será o Angkor Wat! Sendo o principal templo do complexo, ele têm bastante história para contar. Foi construído pelo Rei Suryavarman II para servir como mausoléu pessoal, bem como foi uma homenagem ao deus hindu, Vishnu. O projeto inclui uma pirâmide cujo nível mais alto representa o Monte Meru, casa dos deuses hindus; cinco torres que representam os cinco picos da montanha; e um fosso escavado em torno da edificação representando os oceanos que cercam o mundo.

Vale lembrar que Siem Reap tem um aeroporto pequeno, mas que funciona bem! Inclusive com voos de/para Bangkok, na Tailândia, cidade com várias ofertas e com boas conexões a partir do Brasil.

O visto cambojano é obtido à chegada, no próprio aeroporto, mediante pagamento de taxa e apresentação de alguns documentos/fotos/certificado de vacina que o passageiro deve estar portando. A cidade também possui hotéis incríveis como o Park Hyatt ou Sokkhak Boutique.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Concierge Service: Doha, Dicas para um Stopover!

Kangaroo Tours na Travel Week! Muito mais do que luxo.

Talamanca, a Bola da Vez de Ibiza